Como o seu email marketing pode sobreviver ao novo RGPD?

Em 2018 entra em vigor o novo Regulamento de Proteção Geral de Dados, e já vimos como isso afetará as campanhas de e-mail marketing, mas, o que podemos fazer?

Hoje eu vou dar-lhe minha opinião e algumas impressões sobre o que é que podemos fazer para trabalhar de acordo com o novo RGPD e continuar criando campanhas de email marketing eficazes.

Uma das principais mudanças será em termos de captura de novos assinantes:

  1. Limitando o uso de popups e formulários
  2. Assim como a maneira como os lead magnets são usados
  3. A forma de obter permissão dos assinantes
  4. E para que o usuário deu permissão para o envio de newsletters

Com tudo isso, é normal que haja muitas pessoas preocupadas com o futuro do seu email marketing e quais são as estratégias de marketing digital que podem ser implementadas.

Assim sendo, neste post, vou tentar falar sobre este tópico e ver quais são as melhores opções para a criação de uma estratégia de marketing digital legal.

Você deseja continuar lendo?

· O que é o novo RGPD?

É o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados, que entrará em vigor em maio de 2018 e que busca unificar os diferentes regulamentos dos Estados membros da União Europeia. Este regulamento irá criar regras mais claras e rígidas, para empresas e profissionais que trabalham com email marketing, bem como oferecer mais direitos para os cidadãos.

Neste artigo, vamos discutir os efeitos que este regulamento poderá ter para quem deseja enviar email marketing.

E também veremos algumas estratégias que podemos aplicar para adaptar-se a ele.

· Os formulários de assinatura e o RGPD

Já discutimos isso em um artigo anterior.

Você pode ver aqui um exemplo de formulário de assinatura:

ejemplo de formulario de suscripción

Você pode encontrar o original no website lexblogger de Marina Brocca, um site altamente recomendado, embora não esteja em seu idioma.

Temos dois pontos principais:

  1. A caixa para marcar a aceitação da política de privacidade
  2. O texto com todas as informações necessárias para que o usuário possa dar seu consentimento de maneira clara.

É claro que isso irá complicar e limitar o uso de popups e janelas laterais. Simplesmente porque é um bloco de texto, então será difícil ajustá-lo a um pop-up sem deixar o pop-up muito grande e afetar sua estética.

No caso de muitos formulários criados em janelas pop-up laterais, ocorre o mesmo, o texto ficaria muito grande, o que seria um problema em termos de layout.

E os formulários inseridos no meio do texto?

Bem, é muito texto e cortaria muito conteúdo, o que seria um problema, na minha opinião.

► Qual seria então a melhor opção para inserir os formulários?

O mais lógico é colocá-los na parte inferior dos artigos, onde eles incomodam menos e podemos colocar todo o texto legal necessário para obedecer à lei.

Mas isso tem um porém.

Qual é o problema?

Que a taxa de assinatura é menos elevada nessas posições, muito menor do que se usarmos um popup.

E talvez não seja apenas a localização.

Eu sempre pensei que pop-ups tem esse efeito de “compra por impulso”, onde a pessoa que visita a página toma a decisão de se cadastrar sem meditar muito.

Enquanto o formulário na parte inferior da página é visto por leitores que chegaram ao fim do artigo, e enquanto isso mostra grande interesse, em teoria, depois de ler o artigo, o usuário provavelmente já resolveu sua dúvida.

Podemos pensar, e não estaríamos muito errados, que será possível obter leads de maior qualidade, de pessoas fortemente interessadas.

Mesmo assim, estes serão menos, e teremos que adaptar nossa estratégia de marketing digital.

► E qual seria a opção para colocar os formulários em pontos-chave?

Sim, é claro, existem opções.

Em vez de adicionar diretamente o formulário ao lado, ou no conteúdo, o que podemos fazer é adicionar um banner convidando o usuário a se cadastrar.

E esse banner leva a uma landing page onde você poderá inserir o formulário de assinatura com todas as opções desejadas.

Sim, são duas etapas, mas é uma opção razoável, certo?

Você pode até ter um pop-up com um botão que redireciona para sua landing page.

Então, as coisas não irão mudar tanto, certo?

lead magnet

· E quanto aos lead magnets?

Precisamos usar a criatividade novamente

No RGPD está estabelecido que podemos enviar newsletters apenas se o usuário der sua permissão específica para o que será enviado.

Ou seja, se você criar um formulário de assinatura com o seguinte texto:

  1. Assine a newsletter para baixar o meu maravilhoso ebook

A única coisa que você poderia enviar por email para o assinante é o ebook, pois ele deu sua permissão apenas para você enviar-lhe um ebook. Qualquer outra coisa que você enviar, seria considerado ilegal pois o usuário não autorizou você a enviar-lhe mais nada além do ebook.

Isto é um problema!

No entanto, existe uma solução. Se você colocar algo como:

  1.  Inscreva-se para receber os artigos do blog e nossas ofertas e promoções. Como um presente de boas-vindas, você poderá baixar meu maravilhoso ebook.

Como você pode ver, nesta descrição, estamos solicitando a permissão do assinante tudo o que iremos enviar-lhe por email.

Sim, parece menos atraente.

Mas é a realidade do que lhe enviaremos.

· Marketing de conteúdo, mais importante do que nunca

Sim, o marketing de conteúdo já era importante para as suas campanhas de email marketing, na minha opinião, agora será ainda mais.

Por quê?

Porque, como já comentamos, é muito possível que, a partir de agora, seja mais difícil conseguir novos assinantes. E se dissermos algo semelhante a:

  1. “Inscreva-se para que nossa empresa possa enviar-lhe ofertas e e-mails de vendas”

Muitas pessoas não estarão interessados.

No entanto, se oferecermos bons conteúdos, material útil e, em geral, algo que os assinantes possam aproveitar, será mais fácil conseguir novos assinantes. Esta estratégia não funciona apenas para obter assinantes, é muito útil para mantê-los.

Ou seja, para aumentar a retenção de assinantes, temos que trabalhar com uma estratégia de email marketing que não seja apenas centrada na venda.

Se antes era possível trabalhar com uma estratégia que não era centrada especificamente nos assinantes (não estou dizendo que isto era certo), mas podia funcionar, porque até agora era mais fácil captar novos assinantes.

Mas se o número de novos assinantes for reduzido, será preciso otimizar as estratégias de email marketing, para captar assinantes corretamente e não perder tantos contatos insatisfeitos com suas newsletters.

· Faça do seu e-mail marketing uma parte integrante do seu serviço

Você acha que isto é difícil?

Não é.

Se tratarmos nossas campanhas de email marketing como parte do serviço que oferecemos, nossas oportunidades serão maiores. Ou seja, nossa newsletter deve ser:

  1. Um canal para receber informações relevantes, que ajudarão os usuários a tirar mais vantagens dos produtos comprados.
  2. E para solicitar mais informações ou tirar dúvidas.
  3. Além de receber informações úteis, relacionadas a interesses dos assinantes.

Ou seja, nosso email marketing deve ser integrado ao serviço que nós oferecemos aos nossos clientes.

Na minha opinião, dessa forma será possível criar uma estratégia de email marketing muito mais eficiente.

· Ok, mas será possível usar o email marketing apenas para vender?

Sim, será possível, é claro, por que não seria?

O que muda é que, no momento da assinatura, será preciso especificar de forma clara:

  1. “Inscreva-se para receber ofertas e promoções”

Claro, descrito desta forma, parece que o usuário vai se inscrever apenas para receber emails de vendas. O que não é muito atraente. No entanto, poderíamos usar algo como:

  1. Inscreva-se e obtenha os melhores artigos de X, além de receber todas as nossas ofertas e promoções. Inclui 10% de desconto para a primeira compra.

Agora parece mais aceitável, certo?

Será possível continuar crescendo, mas talvez de forma menos agressiva.

· Em resumo

O email marketing e as leis que o regulam continuam a progredir e sendo modificados. Isso mostra que ainda é um canal cuja importância está aumentando, o que torna necessária sua regulamentação para garantir e proteger os consumidores.

Por nossa parte, como empresas que trabalham com email marketing, temos que nos adaptar e procurar maneiras de cumprir com as leis, modificando nossas estratégias para oferecer cada vez mais qualidade aos nossos clientes.

Sem dúvida, será possível cumprir as leis e ter sucesso na criação de newsletters.

jose-argudo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.